Itália: taxas de natalidade em mínimos históricos, migrantes se aproximam de nove por cento da população

Refugiados e migrantes são vistos nadando e gritando por ajuda de membros da tripulação do navio ‘Phoenix’ da Estação de Ajuda Migratória Offshore (MOAS), depois de um barco de madeira com destino à Itália transportando mais de 500 pessoas naufragar em 24 de maio de 2017 em Lampedusa, Itália. (CHRIS MCGRATH/Getty Images)

De acordo com novos números, a Itália registrou uma taxa de natalidade historicamente baixa em 2018, pois o número de estrangeiros no país aumentou para quase 9% da população total.

As novas estatísticas, divulgadas pela agência italiana de estatísticas Istat, revelam que o número de nascidos vivos em 2018 totalizou apenas 439.747, uma queda de 18.404 em relação ao ano anterior e números que representam a menor taxa de nascimentos desde a unificação do país no século XIX. relata o Il Giornale.

Como os casais estão tendo menos filhos – apenas 1,32 por mulher, de acordo com o Istat -, as famílias também estão se tornando menores em todo o país, com quase um terço de todas as famílias sendo indivíduos solteiros e apenas um terço sendo famílias com crianças.

A população da Itália também está envelhecendo em média, pois a expectativa de vida aumentou para 80,8 anos para homens e 85,2 anos para mulheres.

A população estrangeira da Itália, no entanto, registrou um crescimento substancial nos últimos anos e hoje representa 5.255.503 pessoas – ou 8,7% da população total do país – aumentando 2,2% em 2018. A migração líquida, no entanto, diminuiu ligeiramente, de 188.330 em 2017 para 175.364 em 2018.

A Itália viu uma redução drástica no número de migrantes ilegais desde 2019, em grande parte graças às políticas de portos fechados do ex-ministro do Interior e líder da Lega Matteo Salvini – mas viu um aumento recente nos desembarques desde que ele e a Liga deixaram o governo de coalizão com o Movimento Cinco Estrelas (M5S) e foram substituídos pelo Partido Democrata (PD), de esquerda.

As baixas taxas de natalidade na Itália, combinadas com a migração em massa, alimentaram especulações sobre o futuro da demografia da Itália.

A FareFuturo foundation, um grupos de estudiosos italianos, previu que, devido a uma combinação de fatores, como a origem majoritariamente muçulmana de muitos novos migrantes e o declínio das famílias cristãs, cerca da metade de todos os italianos poderia ser muçulmana até o ano 2100 .

Em 2018, o Istat previu que, em 2165, a população italiana deveria cair em até 10% devido à baixa taxa de natalidade.

Com informações de Breitbart

Publicado por europaemchamas

Europa em Chamas é um portal de notícias independente. Curta nossas postagens e compartilhe nas redes sociais para nos ajudar a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: